Como Funciona o Piso Elevado

Nesse artigo você irá compreender melhor como funciona o piso elevado e como é feita a sua montagem até a finalização.

Como Funciona o Piso Elevado

Antes de falar como funciona o piso elevado vamos relembrar do que se trata esse sistema. O Piso elevado é aplicado quando há a necessidade de elevar um piso a um certo nível determinado, normalmente maior que 7cm acabado.

Como Funciona o Piso Elevado

Isso é muito comum em reformas comerciais de edifícios corporativos, pois as construtoras rebaixam o nível da sua laje já prevendo que os proprietários irão colocar um piso que facilite a passagem de infra-estruturas de elétrica e redes por baixo, facilitando a adequação das salas comerciais para diversos tipos de negócios.

Para que o piso elevado funcione corretamente ele deve ser composto por: pedestais (metálicos, pvc ou a composição de ambos) e uma base (por exemplo: placa de ardósia, placa de porcelanato, placa de ardósia revestida, placa metálica, etc). O objetivo final é ter uma vão entre as placas, que estão apoiadas nos pedestais, e o contrapiso (piso cru) deixado pela construtora.

Entendendo um pouco mais como funciona o piso elevado:

Para melhorar a sua compreensão segue abaixo algumas imagens de um passo a passo para a montagem de um piso elevado de ardósia, por exemplo.

  •  Limpeza da área a ser instalado o piso, posicionamento e nivelamento dos pedestais conforme modulação da base, que normalmente é 60cm x 60cm. (Importantíssimo a utilização de nível a laser)

Posicionamento de Pedestais para Piso Elevado

Nivel a Laser para Piso Elevado

  • Colocação das placas de ardósia apoiadas nos pedestais. Inicialmente se colocam as placas inteiras e são deixados os cantos próximos as paredes, que terão recortes, para o final.

Como Funciona o Piso Elevado

  • Finalização dos serviços com os recortes para caixas de piso com as tomadas e limpeza final (importante fazer essa infraestrutura elétrica antes da instalação do piso elevado)

Caixa de Tomadas para Piso Elevado

Ainda na dúvida de como funciona o piso elevado? Entre em contato com a Alves Andrade Construtora agora mesmo que nossos vendedores podem lhe explicar melhor como usar esse sistema na sua reforma comercial.

Além disso, não deixe de conhecer quais as Principais Aplicações para o Piso Elevado

enchimento de contrapiso

Você sabe o que é um enchimento de contrapiso?

Na hora de executar uma obra ou reforma, são muitos os pontos que merecem atenção, indo desde a preocupação com a estrutura até a finalização. Quando tudo já está próximo do final, é hora de dar atenção ao piso, o que exige nivelamento e boa preparação.

Um dos processos mais importantes nessa parte é conhecimento como enchimento de contrapiso. Ele é feito com materiais específicos e reconhecer suas características e sua importância é fundamental para ter o melhor resultado de obra.

A seguir, veja do que se trata esse tema e entenda como acertar sobre esse assunto.

Afinal, o que é o enchimento de contrapiso?

O contrapiso, em primeiro lugar, corresponde à nivelação do chão com material específico, sobre o qual é aplicado o revestimento — como azulejo, porcelanato ou qualquer outro elemento que dê a finalização.

O enchimento de contrapiso, portanto, corresponde ao uso de materiais específicos para preencher esse espaço entre o piso, em si, e o revestimento. Com isso, há uma regularidade entre o nível da laje e o desejado, preparando o chão para receber o revestimento adequado.

Embora não seja muito comum, ele pode ser a etapa final para quem deseja manter a obra, ainda que temporariamente, no contrapiso.

Quais são os materiais usados nesse enchimento?

Dependendo da necessidade e das possibilidades de cada projeto, o enchimento do contrapiso pode ser feito com materiais específicos.

Em geral, o mais comum é que o concreto seja utilizado, especialmente em áreas medianas e quando a intenção é ter um custo intermediário com bastante segurança no resultado. Há opções como o concreto celular, que garante ótimos efeitos.

Também há outras possibilidades, como argila expandida, pó de carvão e até mesmo isopor. Em construções verdes, garrafas PET podem ser usadas para gerar esse efeito desejado.

Há outras opções mais complexas, como concreto autoadensável, que promete um resultado ainda melhor.

A escolha do material depende do tipo e tamanho do projeto, do orçamento disponível e do uso que será dada à área que passará por essa etapa. Com isso, não dá para estabelecer uma única opção como sendo a mais recomendada.

Por que o enchimento tem que ser adequado?

A realização do contrapiso determina não apenas a estética final da obra, mas, também, a sua usabilidade. Materiais de pouca resistência, por exemplo, facilitam a quebra do revestimento, levando a retrabalhos e ao aumento de custos.

Ao mesmo tempo, os muito resistentes, mas também muito pesados prejudicam o peso total da estrutura. Especialmente no caso de imóveis em prédios ou com andares superiores, isso compromete toda a segurança do projeto.

E vale dizer ainda que o enchimento de contrapiso traz a função de garantir o melhor aproveitamento do espaço, evitando que desníveis em relação à laje prejudiquem a execução do que foi planejado.

Sendo assim, é fundamental escolher corretamente como essa etapa acontecerá. Isso deve ser feito por profissionais capacitados e experientes, que poderão selecionar o material correto e a técnica adequada, de forma a favorecer o resultado da obra.

Sem esse cuidado, há riscos para a segurança, para os prazos e para os custos da obra, podendo gerar um extenso comprometimento.

O enchimento de contrapiso é uma etapa importante para a nivelação, segurança e estética da obra. Com isso, é fundamental contar com profissionais capacitados para que tudo seja executado da maneira correta.

Restou alguma dúvida sobre o tema? Comente e participe para que possamos te ajudar!

preço da reforma comercial

O barato pode sair caro – 4 pontos que devem ter mais importância que o preço da reforma comercial

preço da reforma comercial

Fazer uma reforma no seu empreendimento pode ser tanto necessário para o bom funcionamento quanto para melhorar o desempenho, inclusive de valorização. Seja como for, é indispensável escolher uma boa empresa.

Porém, quando o preço da reforma comercial é o fator mais importante para a tomada de decisão, aumentam as chances de erro. Ao final, seu estabelecimento poderá ter que pagar muito mais devido a um serviço que não foi prestado da maneira que deveria.

Para evitar essas ocorrências, veja a seguir quais são 4 pontos que merecem maior atenção do que o valor final para a obra.

1. A capacidade técnica da empresa é mais importante do que o preço da reforma comercial

Mais do que o valor que será cobrado, é fundamental se atentar à questão da capacidade técnica. Esse elemento aponta se o negócio é capaz de realizar todas as transformações no imóvel conforme o desejado e seguindo características específicas.

Se o seu negócio deseja um piso elevado para melhorar a estruturação de cabeamento, por exemplo, é necessário que a contratada tenha conhecimento e profissionais capacitados para aplicar essa técnica.

Nesse momento, é importante analisar os serviços prestados pela empresa, os profissionais envolvidos na questão e as técnicas utilizadas, de modo que os objetivos definidos sejam atingidos.

Não deixe ainda de conferir registros técnicos, como junto ao CREA, CAU e a órgãos responsáveis que emitem certidões de capacidade nesse sentido.

2. A experiência dos profissionais influencia diretamente nos resultados obtidos

Também vale a pena olhar para a experiência que a empresa possui na realização de projetos do tipo. Não adianta focar em um negócio que oferece um excelente preço da reforma comercial, mas que nunca remodelou uma sala com as mesmas características que a sua, por exemplo.

Dê preferência, portanto, para quem já atua no mercado há algum tempo e, principalmente, tem um bom portfólio de obras finalizadas. Se for o caso, peça a referência de clientes passados e pergunte diretamente a essas pessoas qual foi a experiência com todo o serviço.

Essa análise oferecerá um bom indicador quanto à execução, de modo que a sua decisão seja acertada.

3. As garantias em diversos âmbitos trazem total segurança para o projeto

Por mais que tudo seja feito da maneira correta, imprevistos acontecem e o seu imóvel precisa estar devidamente protegido. Assim, não deixe de considerar quais são as garantias de realização do projeto.

Veja, por exemplo, se a empresa possui boa saúde financeira, já que isso traz garantias caso seja necessário fazer reparos ou retrabalhos. Também dê atenção para garantias como a regularidade fiscal — para a emissão de notas fiscais, por exemplo — e o seguro de responsabilidade civil, para que você fique isento de possíveis danos e questões relacionadas.

Não se esqueça de que é indispensável verificar se a responsável pela reforma cumpre com as obrigações trabalhistas já que, dependendo do caso, o seu empreendimento pode ser considerado corresponsável por acidentes ou ações do trabalho.

4. O tempo previsto para conclusão da obra também é um fator relevante

Embora o preço da reforma comercial seja importante, outro elemento que gera impactos semelhantes é o tempo necessário para a conclusão. O motivo é simples: quanto mais a obra demorar, mais intensa é a perda de produtividade e, portanto, de dinheiro.

Sendo assim, é indispensável verificar junto ao empreendimento qual é o tempo que ela propõe para a conclusão de obras. Quanto mais tecnologia ela empregar e quanto mais estruturada for a equipe, menor é o prazo e, com isso, maior é a economia.

Indo além do preço da reforma comercial, você poderá escolher uma empresa de qualidade para assumir o projeto. Por isso, leve em consideração esses pontos antes mesmo de considerar o valor se quiser aumentar a segurança e as garantias quanto ao projeto!

Conte nos comentários qual é o quesito mais importante depois do preço e participe do debate!

piso elevado de ardósia

5 diferenças entre o piso elevado de ardósia e contrapiso

  piso elevado de ardósia

Os pisos elevados são materiais que vêm sendo usados habitualmente nos ambientes corporativos. Como nos escritórios de advocacia, por exemplo. Uma de suas vantagens é a praticidade que oferecem para a manutenção de instalações.

Devido às suas características, como a de mostra-se como um piso suspenso, muitas pessoas podem confundi-lo com o contrapiso. Porém, se tratam de conceitos diferentes.

Veja quais são as principais diferenças entre o piso elevado de ardósia e o contrapiso!

1. O material usado é a primeira diferença relevante

Uma das primeiras diferenças entre o piso elevado de ardósia e o contrapiso será o material utilizado em cada um.

No caso do piso elevado, a ardósia é a matéria-prima. Trata-se de uma pedra dura e compacta, de natureza metamórfica, feita de silício e argila. As rochas metamórficas são as resultantes da transformação de uma rocha original em outro tipo de rocha em função, principalmente, da alteração na pressão e na temperatura.

A ardósia é aplicada em diferentes contextos, como pisos, fachadas, decorações e tampos de laboratório.

O contrapiso, por sua vez, consiste em uma camada composta de argamassa de cimento e areia (betonilha).

2. As finalidades do piso elevado de ardósia e do contrapiso

O contrapiso exerce funções diversas em uma obra de construção e podemos considerar, entre elas:

  • Corrige irregularidades e desníveis na laje do piso;
  • Serve de base e suporte para o revestimento do piso e seus elementos;
  • Resiste às cargas atuantes sem se romper;
  • Incorpora sistemas de impermeabilização;
  • Contribui com os sistemas de isolamento térmico e acústico;
  • Permite o caimento necessário de água em diferentes espaços.

Já o piso elevado de ardósia tem como principal finalidade embutir instalações e cabeamento de energia elétrica, computador, telefone, ar condicionado e assim por diante, facilitando o acesso e a manutenção desses itens.

Consequentemente o espaço fica mais organizado e esteticamente atraente. Ele compacta e integra a rede de instalações e cabeamento, otimizando o espaço e sendo útil principalmente em ambientes corporativos.

Vale lembrar que contrapiso também pode ser usado para receber e esconder instalações. Da mesma forma, o piso elevado de ardósia deve resistir à atuação de cargas sem se romper. Mas a diferença está no modo como esses processos se realizam em um e no outro.

3. Instalação x construção

A instalação do pavimento de ardósia é muito mais simples e prática do que a construção do contrapiso.

O piso elevado de ardósia é, na maioria das vezes, tal como acontece com os forros, afixado no chão através de pedestais ajustáveis em aço que servem de sustentação, enquanto as pedras de ardósia são colocadas por cima.

O contrapiso, por sua vez, não é instalado, mas construído com ferramentas apropriadas, como pá de pedreiro, régua, prumo e assim por diante.

4. Portabilidade x permanência

Devido ao fato de ser instalado, o piso elevado de ardósia pode ser removido com relativa facilidade e instalado em outro ambiente caso seja necessário. Se, por alguma razão, alguma pedra de ardósia sofrer danos, o ideal é substituí-la.

Para a remoção do contrapiso é necessário quebrá-lo. É possível corrigir danos no contrapiso decorrentes do uso contínuo, como rachaduras.

5. Ponto de assentamento

O contrapiso é assentado diretamente sobre a laje, ou seja, sobre o lastro de concreto armado que está situado sobre a fundação (lastro de brita). Ele deve ter uma espessura entre 20 a 30 milímetros (2 a 3 centímetros). Também recebe o nome de camada de regularização.

O piso elevado de ardósia, por sua vez, pode ser assentado sobre o contrapiso ou sobre o próprio revestimento que o contrapiso já recebeu.

 

Entende agora as diferenças entre o piso elevado de ardósia e o contrapiso? O que pensa sobre a utilização de pisos elevados em salas comerciais? Faça seu comentário!

Turn Key

Qual a vantagem do sistema Turn Key?

Turn Key

A construção civil é uma das áreas mais exploradas no mercado nacional. Independentemente de crises, a demanda por moradia, seja própria, seja locada, ou por pontos comerciais não para nunca.

Acompanhando as tendências modernas, a construção civil também dispõe de metodologias especiais de trabalho, como o sistema Turn Key. Saiba mais sobre esse sistema, lendo o post!

O que é o sistema Turn Key

Literalmente, “Turn Key” significa “vire a chave”. Trata-se de um regime de trabalho que vem crescendo no setor da construção civil. É o fornecimento de um conjunto de serviços para um projeto em todas as suas fases, envolvendo a consultoria até a manutenção.

O Turn Key pode ser usado em qualquer modalidade de obra, principalmente nas construções corporativas, congregando apenas em um escritório todas as fases que envolvem a realização do projeto civil.

O Turn Key e o setor imobiliário

O sistema Turn Key é usado especialmente no fornecimento de bens/serviços para o setor imobiliário. Nesse sentido, o sistema oferece um imóvel completo, pronto para ser habitado, envolvendo a estrutura interna, a decoração e a mobília.

O Turn Key aperfeiçoa a operacionalidade nos projetos de construção civil.

Vale dizer que as formas de contratação do sistema mais comuns no setor imobiliário referem-se às residências.

Geralmente, os projetos imobiliários são resultado do interesse do escritório em suprir a demanda do cliente, com uma proposta de serviço completa. Em certos casos, projetos propostos pelos próprios clientes são aceitos, mas são feitas as adaptações necessárias.

É essencial que todas as questões relacionadas ao projeto imobiliário sejam apresentadas e discutidas objetivamente pelo escritório desde a primeira reunião com o cliente.

O atendimento posterior ao cliente

O sistema Turn Key envolve o atendimento mesmo depois de ser entregue a chave do imóvel. O escritório deve oferecer garantias pelo serviço que foi executado, incluindo a solução de eventuais problemas que possam envolver, por exemplo, os membros da equipe ou os fornecedores.

Esse atendimento pós-entrega oferece a chance para o escritório de arquitetura/engenharia desenvolver uma relação mais permanente e sólida com o cliente, lançando as bases de parcerias que serão vantajosas futuramente.

As vantagens do sistema Turn Key

Há vantagens tanto para o cliente que opta pelo sistema Turn Key como para os profissionais e a empresa que prestam o serviço.

Para o cliente, por exemplo, é muito bom contar com a ajuda profissional para supervisionar os fornecedores e fazer a gestão dos problemas de rotina, fazendo a entrega final do projeto com segurança.

Outras vantagens incluem:

  • Possibilidade de resolver, com antecedência (já na contratação dos serviços), questões relacionadas com a entrega, definindo multas para o caso de atrasos;
  • Possibilidade para a empresa responsável e para o cliente de acompanhar a realização do projeto mesmo à distância através de fotos e vídeos disponibilizados pela equipe;
  • Possibilidade de reuniões semanais através da internet, um ponto vantajoso principalmente para empresas multinacionais;
  • O detalhamento do projeto é fundamental para fazer o cliente entender como as fases serão implementadas e superadas, o que o sistema Turn Key realiza com eficiência, definindo claramente pontos como orçamento e prazo de entrega;
  • A gestão do projeto se dá de maneira integrada, envolvendo toda a equipe e os fornecedores, através da montagem prévia de um cronograma detalhado.

Já conhecia o sistema Turn Key? Pense bem se vale ou não a pena fazer emprego dele em seus projetos imobiliários. Aproveite para deixar seu comentário aqui no blog.

alugar imóveis comerciais

4 dicas para alugar imóveis comerciais com mais facilidade

A demanda por imóveis comerciais cresce cada vez mais. Em especial as salas comerciais são as mais procuradas por causa do custo-benefício. São espaços compactos que servem para desenvolver o trabalho com eficiência sem incorrer em custos muito altos.

Lembre que procurar uma imobiliária idônea poderá acelerar o processo de locação.

Confira abaixo 4 dicas para alugar imóveis comerciais com mais facilidade!

1. Reformar o imóvel vai ser um grande diferencial

Uma das primeiras coisas que você deve avaliar são as condições físicas do imóvel. Caso o imóvel não seja comercial, é preciso adaptá-lo para atender a demanda dos profissionais — você terá que efetuar um projeto para transformá-lo de imóvel residencial em imóvel comercial.

Considerando que ele já seja um ponto comercial, ainda assim a reforma é importante. O imóvel pode estar com danos, apresentando problemas nas instalações, nas paredes, no piso, na cobertura. Talvez seja necessário pintá-lo. Outra possibilidade é que seu design pode ser ultrapassado, sendo preciso adaptá-lo aos padrões modernos de comércio.

A reforma vai ajudar a alugar imóveis comerciais na medida em que proporciona sofisticação e mais funcionalidade ao ambiente.

2. Divulgue da melhor forma possível e saia na frente

Quanto mais você divulgar, mais chances terá de alugar seu imóvel mais rapidamente. Elabore uma campanha de marketing bem direcionada, visando especificamente o público-alvo que deseja (setor de atividade, nível de formação, renda e assim por diante).

Mesmo que o público seja o mais diversificado possível, a publicidade se faz necessária através dos canais mais eficientes.

As mídias tradicionais ainda são um canal eficaz. Você pode anunciar em rádios, jornais e televisão. Pode recorrer aos carros de propaganda, panfletos, cartões de visita, telefonemas (telemarketing), banners, outdoors.

Os recursos digitais, geralmente, saem mais baratos e têm o potencial de atingir um público mais vasto. Anuncie nas redes sociais e em plataformas imobiliárias, crie um blog e poste conteúdo atrativo, envie e-mails, poste fotos e vídeos de boa qualidade.

A divulgação informal, boca a boca, por meio de amigos e familiares também ajuda — e não custa nada!

3. Ofereça preços competitivos para alugar imóveis comerciais

O preço ainda é um diferencial para a população. De modo geral, os negociantes procuram prestar bom atendimento. Sendo assim, se o consumidor encontra dois imóveis bem localizados para alugar, cujo locador ou corretor atende com simpatia e boa vontade, a questão da diferença entre os preços vai influir muito na hora da decisão.

O preço torna-se relevante ainda mais em tempos de crise econômica e muita concorrência. O consumidor não tem muito dinheiro. O negociante, por sua vez, pode ter uma concorrência elevada.

Administre o preço com cuidado de modo a ser vantajoso para você e não ser tão pesado para o consumidor. Para ter uma noção mais exata sobre valores, pesquise a média do preço de aluguel em sua cidade, compare os tipos de imóveis e os níveis de demanda, bem como a localização. Para alugar imóveis comerciais, é necessário analisar de diferentes perspectivas.

4. Procure ser flexível com os inquilinos

Procure agir com flexibilidade. Se o inquilino atrasou um mês, converse com ele e procure negociar. Talvez, ele esteja realmente passando por apertos financeiros.

Na hora de exigir garantias não seja tão rigoroso, nem quando for cobrar multas. Por exemplo, para evitar a rotatividade alta de inquilinos, o locador costuma cobrar multa rescisória proporcional ao tempo do contrato padrão de locação, que é, na maioria das vezes, 30 meses. Mas, como muitos inquilinos não permanecem por todo esse tempo, uma boa solução é cobrar multa por rescisão apenas se ele sair antes de 6 ou 12 meses.

O que pensa dessas dicas? Já aplica alguma delas para alugar imóveis comerciais? Quer deixar uma dica? Aproveite os espaços abaixo e comente!

reformas comerciais

Entenda de uma vez por todas por que reformas comerciais são tão importantes para valorizar investimentos

reformas comerciais

Atualmente, os profissionais demandam muito salas comerciais para exercer suas atividades. São profissionais que atuam em diferentes áreas, como médicos, advogados, veterinários, profissionais que trabalham com manutenção de diferentes produtos e assim por diante.

Independente de ser somente uma sala ou todo um imóvel, os pontos comerciais devem estar ajustados às necessidades do público. Por essa razão as reformas comerciais contribuem para a valorização dos investimentos imobiliários.

Leia o post e veja por que é tão importante reformar pontos comerciais!

Por que fazer reformas comerciais?

As reformas comerciais têm como finalidade ajustar o ambiente às novas necessidades do mercado. Dessa forma, é possível criar espaços confortáveis para o trabalho e para o atendimento ao cliente.

Trata-se de criar um espaço mais funcional e seguro, trocando instalações ultrapassadas, corrigindo defeitos no piso e na cobertura, facilitando o acesso aos usuários ao mesmo tempo em que procura soluções para manter a privacidade do local, evitando a entrada de estranhos e pessoas mal-intencionadas.

Pode ser necessário aplicar uma nova pintura. Pode ser necessário aplicar produtos para conservação e proteção.

Uma boa reforma pode até modificar radicalmente a estrutura da edificação, abrindo novas entradas, ampliando ou reduzindo espaços, criando novos cômodos, integrando ambientes.

Mas as reformas comerciais também visam tornar o espaço mais atraente do ponto de vista estético, pois esse é um ponto importante a considerar, já que o design do estabelecimento comercial serve para atrair a atenção do cliente através do apelo visual.

A necessidade de padronizar os estabelecimentos comerciais

Atualmente, a padronização dos estabelecimentos comerciais é fundamental, pois os profissionais já procuram ambientes de trabalho conforme determinados critérios.

Por isso, as reformas comerciais devem contemplar também aspectos de mobiliário, disponibilizando para a pessoa os móveis e equipamentos que ele precisa para trabalhar, como mesas, cadeiras, estantes e assim por diante.

A tecnologia também faz parte do padrão moderno, principalmente no que se refere à segurança (sensores, cerca elétrica, luzes automáticas).

O conforto e a acessibilidade nas reformas comerciais

Tal como acontece em residências, as reformas comerciais também precisam cuidar de aspectos relacionados ao conforto dos profissionais e dos clientes.

A necessidade de ajustar o ambiente de trabalho ao homem é o que se chama de ergonomia. É preciso que o usuário possa locomover-se saudavelmente pelo espaço, goze de boa ventilação e iluminação, tenha acesso fácil e rápido ao seu material de trabalho.

O conceito de economia sustentável deve ser visado nas reformas comerciais, buscando aproveitar ao máximo os recursos naturais para proporcionar ventilação e iluminação: disposição estratégica das janelas, aproveitamento da luz solar e outras coisas.

É fundamental permitir a acessibilidade de todas as pessoas, inclusive de portadores de deficiência e idosos.

A demanda pelos pontos comerciais tende a aumentar

Diante da necessidade de encontrar espaço para trabalhar, a demanda pelos pontos comerciais tende a aumentar em todas as cidades, principalmente das salas comerciais, que satisfazem as necessidades do profissional a custos menores (um fator fundamental em períodos de crise financeira e para os profissionais que estão em começo de carreira).

Os que têm mais condições podem comprar estabelecimentos comerciais bem estruturados para suas atividades. Os que não possuem muito capital inicial alugam salas e pontos estratégicos para iniciar suas atividades.

Por essa razão, é importante investir em reformas comerciais bem projetadas para garantir que vão atender as necessidades dos consumidores. Quanto mais bem planejadas as reformas, mais rentabilidade elas poderão proporcionar.

Um ponto comercial bem estruturado, com ar moderno e sofisticado, certamente tem um potencial de valorização (demanda frequente) muito maior que outro que segue parâmetros ultrapassados.

Pretende alugar imóveis? Já está realizando reformas comerciais a fim de garantir a demanda dos consumidores? Quais as dificuldades que encontra nesse sentido? Faça seu comentário.

salas comerciais

Por que investir em salas comerciais?

salas comerciais

O homem está sempre buscando meios de aumentar sua renda e, para tanto, é preciso investir em segmentos rentáveis, como o setor imobiliário. O setor imobiliário é amplo, envolvendo inspeções e transações com casas, apartamentos, terrenos, chácaras, propriedades rurais, imóveis residenciais e comerciais.

É preciso ter bom faro em tantas oportunidades de negócio e ver chances reais de lucrar. As salas comerciais são opções incríveis para quem deseja investir e ter boa rentabilidade. Já pensou em apostar neste nicho de mercado imobiliário? Veja por que esta é uma boa ideia!

A demanda por um espaço de trabalho

Atualmente, muitos jovens recém-formados buscam um espaço para trabalhar, para montar seu próprio escritório ou clínica, para desenvolver suas atividades profissionais.

Essa demanda por um espaço de trabalho é alta e tende a crescer, visto que mais profissionais vão surgindo ao longo do tempo.

Naturalmente, disponibilizar salas comerciais para locação é uma boa forma de prover aos trabalhadores, principalmente aos autônomos, um espaço para a realização de suas tarefas.

A necessidade de espaços mais compactos

A elevada concentração populacional nas cidades grandes (e nas cidades em geral), bem como a crise financeira que afeta a maior parte dos brasileiros geram a necessidade de criar espaços mais compactos para trabalhar.

Uma mesma construção pode proporcionar várias salas comerciais, atendendo, portanto, uma quantidade maior de profissionais que buscam espaço para trabalhar.

Não importa se a construção é somente térrea ou se é um prédio com dois ou mais andares, investir em salas comerciais é certamente uma forma de captar a atenção de profissionais de diferentes setores.

Por se tratarem de espaços menores, as salas comerciais envolvem menos custos para essas pessoas, o que é um diferencial relevante em tempos de pouco dinheiro e muitas dívidas.

A variedade na demanda

Boa parte das pessoas que buscam salas comerciais está composta por recém-formados. Ou mesmo de profissionais veteranos que ainda não apresentam estabelecimento próprio para exercer suas atividades (clínica, hospital, consultório, escritório).

Nesse caso, temos: oftalmologistas, odontologistas, fisioterapeutas, veterinários, psiquiatras, psicólogos, nutricionistas e diversos outros profissionais que prestam serviços na área da saúde.

A demanda por salas comerciais envolve também os profissionais que efetuam atividades técnicas, como serviços de manutenção em computador, televisão, aparelhos de som e de DVD e outros equipamentos.

É comum também, como acontece em shoppings centers, os profissionais do ramo dos negócios aproveitarem espaços mais compactos para abrir suas lojinhas (confecções, calçados, joias, óculos, livros, cosméticos, equipamentos de informática/eletrônica e outras coisas).

Cabeleireiros e profissionais da beleza também aproveitam salas comerciais para desenvolver suas atividades de corte e tratamento de cabelos, design de sobrancelhas, manicure/pedicure, depilação, etc.

Quem deseja dar aulas, especialmente cursinhos para vestibular e concurso, também pode aproveitar a boa disponibilidade de salas comerciais. E assim por diante: lan houses, livrarias, farmácias, papelarias, consultorias e muitos outros modelos de negócio podem se valer bem do espaço de salas comerciais para se desenvolver.

A lucratividade compensa

Se você já tem um imóvel pronto, seja residencial, seja comercial, poderá reformá-lo para atender aos parâmetros das salas comerciais. Caso você já possua um imóvel nesses moldes, mas está deteriorado ou precisa de reparos, a reforma também é a solução.

Os custos de uma reforma planejada serão compensados a médio e longo prazo. Principalmente, se a construção estiver bem localizada: em uma região central ou em uma área que apresenta demanda elevada por salas comerciais.

Caso você deseje, poderá mesmo investir em uma obra, em uma construção com salas comerciais voltadas para profissionais em geral ou destinadas a um grupo específico, como médicos, advogados e assim por diante. Advogados e contadores, por exemplo, geralmente ocupam salas comerciais de um empresarial, pois desempenham atividades paralelas. Já os prestadores de serviços em informática (donos de lan house, especialistas em manutenção e conserto) podem dividir espaço com vendedores de produtos dessa área.

Entende melhor por que vale a pena investir em salas comerciais? Já está lucrando com elas? Aproveite para deixar seu comentário!

Por que é importante realizar um projeto antes de iniciar sua reforma comercial?

reforma comercial

Você que é proprietário de um imóvel sabe que manter sua sala comercial, loja ou escritório em perfeitas condições é garantia de melhor retorno ao capital e também uma proteção a seu investimento e, se você é inquilino de um imóvel comercial também tem as mesmas necessidades; afinal o patrimônio pode não ser seu, mas o negócio sim, e não há dúvida que sua atividade deve ser desenvolvida em ambiente agradável e que transmita boa impressão a seus clientes.

Portanto, lidar com reforma comercial é inevitável a qualquer um, seja investidor ou empreendedor.

Veja então a importância de se ter um bom projeto quando surgir essa necessidade em sua vida.

Adequação aos objetivos

Em uma reforma comercial, antes de qualquer coisa, saber o que se deseja é fundamental. Qual seu objetivo com a reforma? Que resultado espera alcançar?  Qual o padrão dos acabamentos?

Um bom projeto garantirá que o resultado final esteja perfeitamente alinhado com seu pensamento.

Planejamento da execução

Tendo o projeto em mãos é possível planejar com segurança todo o desenvolvimento de uma reforma comercial, você conhecerá que profissionais e serviços terá que contratar, poderá programar as compras e terá uma boa ideia do prazo necessário para execução.

Domínio das etapas e seus custos

O planejamento desenvolvido a partir de um bom projeto traz conhecimento sobre cada etapa da reforma comercial e permite domínio dos custos envolvidos. Isso confere segurança para a realização da obra. Esta é uma grande vantagem, é possível saber quais os materiais serão comprados e qual o momento em que devem estar na obra, com essa informação a gestão do fluxo de caixa fica facilitada.  Ao iniciar a obra você já tem boa previsão do total a ser investido.

Respeito à legislação e normas técnicas

A execução de uma reforma comercial exige ainda respeito à legislação da Prefeitura ou Estado, às leis trabalhistas, às normas técnicas e ainda ao regimento interno do prédio ou condomínio, por exemplo, quanto ao trânsito de materiais e horários para execução dos serviços, se não somos do ramo, fica evidente a necessidade de acompanhamento profissional.

Podemos ver então a importância de um bom projeto para que se execute uma reforma comercial e que o conhecimento oferecido no desenvolvimento desse projeto nos mostra que é fundamental a contratação de uma equipe especializada para administrar a obra e acompanhar o andamento dos serviços, assim será minimizada a ocorrência de problemas, reduzidos riscos de perdas e ainda, estará garantido que a legislação e as boas práticas da construção sejam respeitadas.

Projeto feito por arquiteto ou engenheiro e administração profissional são o remédio perfeito para que você não tenha dores de cabeça com sua reforma comercial.

A Alves Andrade oferece toda assistência para sua reforma comercial ou construção, você pode contar com a competência de nossa equipe, do projeto à administração da obra. Com um acompanhamento da execução, do início ao fim da obra, você tem a garantia de uma reforma tranquila, sem interrupções e com extrema qualidade nos serviços.

Gostou de nosso post? Deixe seu comentário.

piso elevado

7 vantagens do piso elevado para obras comerciais

Originalmente concebido para atender as necessidades de projeto dos antigos centros de processamento de dados das empresas de médio ou grande porte, o piso elevado tem evoluído em qualidade, versatilidade e variedade de materiais aplicados no acabamento, o que faz com que seja cada vez maior o número de profissionais da construção civil que adotam essa solução nas construções ou reformas.

Variedade de tipos

De acordo com o tipo do piso elevado escolhido, encontraremos vantagens específicas, mas algumas delas são comuns a todos. A própria variedade é a primeira vantagem, pois permite que o projetista defina o modelo que mais se ajuste as necessidades do projeto.

Os tipos de piso elevado disponíveis são:

  • Metálicos
  • Concreto celular sobre placas de aço
  • Concreto celular em formas de PVC
  • Ardósia
  • Monolítico
  • Gesso aditivado

Cada um desses tipos de piso tem estrutura adequada, em suportes telescópicos ou não, com maior ou menor distanciamento em relação à base, e com acabamentos diversos. Na execução do projeto das instalações é que deverá ser feita a opção de acordo com a necessidade.

 Rapidez na execução

O tempo médio para instalação de um piso elevado é inferior ao de pisos assentados com argamassa. Esse é um fator importante para redução de custos e agilidade na execução da obra.

Correção de desnivelamentos da base

A maioria dos pisos elevados não exige correções no nivelamento da laje, podendo ser assentado diretamente sobre ela, sem necessidade de contrapiso. A correção de eventuais diferenças de nivelamento da laje é feita pelo ajuste dos suportes.

Instalações facilitadas

A função primordial do piso elevado é justamente permitir que cabeamentos, tubulações elétricas ou hidráulicas, e até instalações de sistemas de condicionamento de ar sejam feitos abaixo do piso e com facilidade e rapidez.

A manutenção é facilitada, o acesso às instalações pode ser feito por caixas de visita ou mesmo com a remoção de algumas placas, dependendo do tipo de piso aplicado.

No caso dos sistemas de ar condicionado, há ainda redução no consumo de energia e maior eficiência do sistema, ressaltando-se que deve ser atentamente observada a possibilidade de, em caso de estrutura metálica, haver corrosão se o sistema gerar umidade abaixo do piso.

Mudanças de layout

Essa é uma das grandes vantagens do piso elevado aplicado em ambientes corporativos, modificações no layout podem ser feitas rapidamente e com facilidade.

Lembrando que no caso do piso monolítico essa mudança requer cuidados e pode apresentar alguma dificuldade por conta da maneira peculiar com que devem ser passadas as instalações.

Alta resistência

O piso elevado oferece boa resistência a cargas, deve ser escolhido o tipo de estrutura de acordo com o uso, mas por sua rigidez pode ser usado mesmo em galpões, locais de trânsito de veículos pesados, lojas e etc. Nesses casos deve ser dispensada especial atenção ao acabamento, pois alguns podem se mostrar mais frágeis quando sobrecarregados e apresentar trincas ou rachaduras, um bom exemplo é a Ardósia.

Diversidade de Acabamentos

De acordo com o tipo de piso elevado escolhido existem várias opções de acabamentos como:

  • Carpete
  • Laminados melamínicos
  • Placas de borracha
  • Placas vinílicas
  • Granito
  • Ardósia
  • Porcelanato
  • Cerâmica
  • Pintura em resina

Essa é outra grande vantagem do piso elevado, com a diversidade de acabamentos, de acordo com o tipo de piso escolhido, o projetista ou designer terá grande liberdade na composição final de seu projeto.

Instalação fácil e limpa, agilidade para instalação e manutenção de cabeamentos e tubulações, aliados à funcionalidade, beleza e modernidade fazem do piso elevado uma opção sempre considerada nos projetos de construção, reformas ou retrofit.

Gostou de nosso post? Já teve alguma experiência na aplicação de piso elevado? Pretende utilizar este recurso em seu próximo investimento? Compartilhe conosco sua opinião, deixe seu comentário.