Manutenção de Piso Elevado

Quando falamos em Manutenção de Piso Elevado a primeira pergunta que temos que fazer é quais são as recomendações que o próprio fabricante do piso orienta antes, durante e após a sua instalação. Nesse artigo você irá descobrir quais são essas orientações para praticamente todos os tipos de pisos elevados.

manutenção de piso elevado

Manutenção de Piso Elevado: Antes da Instalação

Não adianta falar em manutenção do piso sendo que antes mesmo de instalar já são cometidos erros que poderão prejudicar a durabilidade do piso no futuro. Por esse motivo é importante seguir as providências abaixo com atenção:

  • Manter o piso elevado armazenado em local livre e desimpedido, a fim de evitar que outros materiais ou equipamentos “batam” no piso e danifiquem os seus cantos;
  • Manter o piso apoiado sobre uma base nivelada e não diretamente em contato com o solo;
  • Proteger o piso com uma lona plástica, caso outros serviços sejam realizados onde o piso esta armazenado, como forro de gesso plaquinha, que gera muita “sujeira” ou pintura, que gera respingos. Ambos, em função da porosidade de alguns tipos de pisos elevados, podem não sair com a limpeza e prejudicar a manutenção do piso elevado.

Manutenção de Piso Elevado: Durante a Instalação

Durante a instalação do piso elevado os cuidados devem ser ainda maiores, confira abaixo:

  • Posicionar a maioria dos pedestais e só então iniciar a colocação das placas, dessa forma evita ficar manipulando muito as placas para ficar ajustando pedestais;
  • Ficar atento aos cantos das placas para que não lasquem muito;
  • Garantir o nivelamento das placas, para que não fiquem com rangido ou com excesso de carga em um dos pedestais (Esse deve ser observado com bastante atenção, pois impacta e muito na manutenção do piso elevado);
  • Nos encontros do piso elevado com as paredes, onde haverá recortes de piso, é importante adequar os pedestais para que não fiquem sobrecarregados;
  • Caso sejam feitos cortes nos pisos, para colocação, por exemplo, de caixas de elétrica, é importante que a posição desses cortes sejam próximas ao centro da placa, pois quanto mais próximo o corte estiver dos pedestais de apoio da placa, menor será sua resistência e maior será sua manutenção.

Manutenção de Piso Elevado: Após a Instalação

Após a instalação é essencial que alguns cuidados sejam tomados pelos seus utilizadores, para sua perfeita durabilidade e manutenção.

  • Atentar a carga máxima que o piso elevado suporta, não transportando máquinas ou equipamentos que fiquem sobrecarregando o piso. Por exemplo, o piso elevado em ardósia suporta uma carga concentrada de 350kg e uma carga distribuída de 1000kg/m². Colocar um peso maior que esse pode não significar, inicialmente, um rompimento da placa de piso, porém irá sobrecarregar os pedestais até chegar ao rompimento;
  • Quando for necessário remover alguma placa de piso para uma possível manutenção elétrica é essencial a utilização de “ventosas” para içar a placa, senão é provável que os cantos sejam danificados, ao se utilizar uma chave de fenda, por exemplo;
  • Para fazer a limpeza do piso é indicado verificar quais os produtos que o fabricante recomenda, pois há tipos diferentes de pisos elevados que exigem cuidados diferentes na limpeza.

Ainda com Dúvidas sobre manutenção de piso elevado?

Não deixe de entrar em contato com a Alves Andrade Construtora para garantir a execução do seu piso elevado, seguindo todos os cuidados descritos acima e a perfeita manutenção do seu piso elevado.

Além disso, confira um outro artigo sobre pisos elevados para elevar seus conhecimentos: Tipos de Pisos Elevados

Aplicações para Piso Elevado

Esse artigo tem a finalidade de demonstrar algumas das principais aplicações para Piso Elevado, em áreas internas e externas.

Aplicações para Piso Elevado

Aplicações para Piso Elevado em Áreas Internas

  • Reformas de Salas Comerciais em Edifícios Corporativos: o piso elevado é muito utilizado nesses casos, pois as construtoras entregam as salas comerciais com um desnível de até 15cm de altura, proporcionando flexibilidade para o usuário da sala distribuir todas as infraestruturas para a sala da melhor forma possível.

 

  • Reformas de Lajes Comerciais: para lajes corporativas o piso elevado é ainda mais indicado, pois as mudanças de layout nesse tipo de ambiente é muito comum.

 

  • Elevação de CPD’s: essa é uma aplicação do piso elevado extremamente utilizada, isso porque CPD’s apresentam uma grande quantidade de cabos que chegam até eles e que precisam ser protegidos e periodicamente manipulados.

 

  • Lojas e Escritórios Comerciais: escritórios de bancos utilizam bastante o piso elevado, por estarem em constante mudança de layout.

 

  • Reformas em Residencias: o piso elevado é pouco utilizado em reformas residenciais, porém é aplicado quando se pretende passar tubulação de ar condicionado para alguns ambientes, nivelar terraços com desnível elevado, etc.

 

  • Palcos para Eventos: uma aplicação pouco comentada, mas bastante funcional por sua agilidade de execução.

 

Aplicações para Piso Elevado em Áreas Externas

Piso Elevado Externo

  • Decks de Piscinas: essa aplicação do piso elevado é uma das mais conhecidas para áreas externas.

 

  • Passeios no pavimento térreo de edifícios: utilizando o piso elevado nessas áreas é possível proteger a impermeabilização do térreo e melhorar a drenagem das águas pluviais.

 

  • Base para Jardins: a aplicação do piso elevado para esse fim é tão divulgado, porém muito eficaz, pois cria um sistema de captação da água da chuva para irrigar os jardins.

 

Como você deve ter percebido são diversas as aplicações de piso elevado em obras/ reformas comerciais e residenciais. Caso ainda tenha dúvidas entre em contato agora mesmo com a nossa empresa para se informar melhor.

Aumente ainda mais seus conhecimentos: Manutenção do Piso Elevado

Como Funciona o Piso Elevado

Nesse artigo você irá compreender melhor como funciona o piso elevado e como é feita a sua montagem até a finalização.

Como Funciona o Piso Elevado

Antes de falar como funciona o piso elevado vamos relembrar do que se trata esse sistema. O Piso elevado é aplicado quando há a necessidade de elevar um piso a um certo nível determinado, normalmente maior que 7cm acabado.

Como Funciona o Piso Elevado

Isso é muito comum em reformas comerciais de edifícios corporativos, pois as construtoras rebaixam o nível da sua laje já prevendo que os proprietários irão colocar um piso que facilite a passagem de infra-estruturas de elétrica e redes por baixo, facilitando a adequação das salas comerciais para diversos tipos de negócios.

Para que o piso elevado funcione corretamente ele deve ser composto por: pedestais (metálicos, pvc ou a composição de ambos) e uma base (por exemplo: placa de ardósia, placa de porcelanato, placa de ardósia revestida, placa metálica, etc). O objetivo final é ter uma vão entre as placas, que estão apoiadas nos pedestais, e o contrapiso (piso cru) deixado pela construtora.

Entendendo um pouco mais como funciona o piso elevado:

Para melhorar a sua compreensão segue abaixo algumas imagens de um passo a passo para a montagem de um piso elevado de ardósia, por exemplo.

  •  Limpeza da área a ser instalado o piso, posicionamento e nivelamento dos pedestais conforme modulação da base, que normalmente é 60cm x 60cm. (Importantíssimo a utilização de nível a laser)

Posicionamento de Pedestais para Piso Elevado

Nivel a Laser para Piso Elevado

  • Colocação das placas de ardósia apoiadas nos pedestais. Inicialmente se colocam as placas inteiras e são deixados os cantos próximos as paredes, que terão recortes, para o final.

Como Funciona o Piso Elevado

  • Finalização dos serviços com os recortes para caixas de piso com as tomadas e limpeza final (importante fazer essa infraestrutura elétrica antes da instalação do piso elevado)

Caixa de Tomadas para Piso Elevado

Ainda na dúvida de como funciona o piso elevado? Entre em contato com a Alves Andrade Construtora agora mesmo que nossos vendedores podem lhe explicar melhor como usar esse sistema na sua reforma comercial.

Além disso, não deixe de conhecer quais as Principais Aplicações para o Piso Elevado

preço da reforma comercial

O barato pode sair caro – 4 pontos que devem ter mais importância que o preço da reforma comercial

preço da reforma comercial

Fazer uma reforma no seu empreendimento pode ser tanto necessário para o bom funcionamento quanto para melhorar o desempenho, inclusive de valorização. Seja como for, é indispensável escolher uma boa empresa.

Porém, quando o preço da reforma comercial é o fator mais importante para a tomada de decisão, aumentam as chances de erro. Ao final, seu estabelecimento poderá ter que pagar muito mais devido a um serviço que não foi prestado da maneira que deveria.

Para evitar essas ocorrências, veja a seguir quais são 4 pontos que merecem maior atenção do que o valor final para a obra.

1. A capacidade técnica da empresa é mais importante do que o preço da reforma comercial

Mais do que o valor que será cobrado, é fundamental se atentar à questão da capacidade técnica. Esse elemento aponta se o negócio é capaz de realizar todas as transformações no imóvel conforme o desejado e seguindo características específicas.

Se o seu negócio deseja um piso elevado para melhorar a estruturação de cabeamento, por exemplo, é necessário que a contratada tenha conhecimento e profissionais capacitados para aplicar essa técnica.

Nesse momento, é importante analisar os serviços prestados pela empresa, os profissionais envolvidos na questão e as técnicas utilizadas, de modo que os objetivos definidos sejam atingidos.

Não deixe ainda de conferir registros técnicos, como junto ao CREA, CAU e a órgãos responsáveis que emitem certidões de capacidade nesse sentido.

2. A experiência dos profissionais influencia diretamente nos resultados obtidos

Também vale a pena olhar para a experiência que a empresa possui na realização de projetos do tipo. Não adianta focar em um negócio que oferece um excelente preço da reforma comercial, mas que nunca remodelou uma sala com as mesmas características que a sua, por exemplo.

Dê preferência, portanto, para quem já atua no mercado há algum tempo e, principalmente, tem um bom portfólio de obras finalizadas. Se for o caso, peça a referência de clientes passados e pergunte diretamente a essas pessoas qual foi a experiência com todo o serviço.

Essa análise oferecerá um bom indicador quanto à execução, de modo que a sua decisão seja acertada.

3. As garantias em diversos âmbitos trazem total segurança para o projeto

Por mais que tudo seja feito da maneira correta, imprevistos acontecem e o seu imóvel precisa estar devidamente protegido. Assim, não deixe de considerar quais são as garantias de realização do projeto.

Veja, por exemplo, se a empresa possui boa saúde financeira, já que isso traz garantias caso seja necessário fazer reparos ou retrabalhos. Também dê atenção para garantias como a regularidade fiscal — para a emissão de notas fiscais, por exemplo — e o seguro de responsabilidade civil, para que você fique isento de possíveis danos e questões relacionadas.

Não se esqueça de que é indispensável verificar se a responsável pela reforma cumpre com as obrigações trabalhistas já que, dependendo do caso, o seu empreendimento pode ser considerado corresponsável por acidentes ou ações do trabalho.

4. O tempo previsto para conclusão da obra também é um fator relevante

Embora o preço da reforma comercial seja importante, outro elemento que gera impactos semelhantes é o tempo necessário para a conclusão. O motivo é simples: quanto mais a obra demorar, mais intensa é a perda de produtividade e, portanto, de dinheiro.

Sendo assim, é indispensável verificar junto ao empreendimento qual é o tempo que ela propõe para a conclusão de obras. Quanto mais tecnologia ela empregar e quanto mais estruturada for a equipe, menor é o prazo e, com isso, maior é a economia.

Indo além do preço da reforma comercial, você poderá escolher uma empresa de qualidade para assumir o projeto. Por isso, leve em consideração esses pontos antes mesmo de considerar o valor se quiser aumentar a segurança e as garantias quanto ao projeto!

Conte nos comentários qual é o quesito mais importante depois do preço e participe do debate!

piso elevado de ardósia

5 diferenças entre o piso elevado de ardósia e contrapiso

  piso elevado de ardósia

Os pisos elevados são materiais que vêm sendo usados habitualmente nos ambientes corporativos. Como nos escritórios de advocacia, por exemplo. Uma de suas vantagens é a praticidade que oferecem para a manutenção de instalações.

Devido às suas características, como a de mostra-se como um piso suspenso, muitas pessoas podem confundi-lo com o contrapiso. Porém, se tratam de conceitos diferentes.

Veja quais são as principais diferenças entre o piso elevado de ardósia e o contrapiso!

1. O material usado é a primeira diferença relevante

Uma das primeiras diferenças entre o piso elevado de ardósia e o contrapiso será o material utilizado em cada um.

No caso do piso elevado, a ardósia é a matéria-prima. Trata-se de uma pedra dura e compacta, de natureza metamórfica, feita de silício e argila. As rochas metamórficas são as resultantes da transformação de uma rocha original em outro tipo de rocha em função, principalmente, da alteração na pressão e na temperatura.

A ardósia é aplicada em diferentes contextos, como pisos, fachadas, decorações e tampos de laboratório.

O contrapiso, por sua vez, consiste em uma camada composta de argamassa de cimento e areia (betonilha).

2. As finalidades do piso elevado de ardósia e do contrapiso

O contrapiso exerce funções diversas em uma obra de construção e podemos considerar, entre elas:

  • Corrige irregularidades e desníveis na laje do piso;
  • Serve de base e suporte para o revestimento do piso e seus elementos;
  • Resiste às cargas atuantes sem se romper;
  • Incorpora sistemas de impermeabilização;
  • Contribui com os sistemas de isolamento térmico e acústico;
  • Permite o caimento necessário de água em diferentes espaços.

Já o piso elevado de ardósia tem como principal finalidade embutir instalações e cabeamento de energia elétrica, computador, telefone, ar condicionado e assim por diante, facilitando o acesso e a manutenção desses itens.

Consequentemente o espaço fica mais organizado e esteticamente atraente. Ele compacta e integra a rede de instalações e cabeamento, otimizando o espaço e sendo útil principalmente em ambientes corporativos.

Vale lembrar que contrapiso também pode ser usado para receber e esconder instalações. Da mesma forma, o piso elevado de ardósia deve resistir à atuação de cargas sem se romper. Mas a diferença está no modo como esses processos se realizam em um e no outro.

3. Instalação x construção

A instalação do pavimento de ardósia é muito mais simples e prática do que a construção do contrapiso.

O piso elevado de ardósia é, na maioria das vezes, tal como acontece com os forros, afixado no chão através de pedestais ajustáveis em aço que servem de sustentação, enquanto as pedras de ardósia são colocadas por cima.

O contrapiso, por sua vez, não é instalado, mas construído com ferramentas apropriadas, como pá de pedreiro, régua, prumo e assim por diante.

4. Portabilidade x permanência

Devido ao fato de ser instalado, o piso elevado de ardósia pode ser removido com relativa facilidade e instalado em outro ambiente caso seja necessário. Se, por alguma razão, alguma pedra de ardósia sofrer danos, o ideal é substituí-la.

Para a remoção do contrapiso é necessário quebrá-lo. É possível corrigir danos no contrapiso decorrentes do uso contínuo, como rachaduras.

5. Ponto de assentamento

O contrapiso é assentado diretamente sobre a laje, ou seja, sobre o lastro de concreto armado que está situado sobre a fundação (lastro de brita). Ele deve ter uma espessura entre 20 a 30 milímetros (2 a 3 centímetros). Também recebe o nome de camada de regularização.

O piso elevado de ardósia, por sua vez, pode ser assentado sobre o contrapiso ou sobre o próprio revestimento que o contrapiso já recebeu.

 

Entende agora as diferenças entre o piso elevado de ardósia e o contrapiso? O que pensa sobre a utilização de pisos elevados em salas comerciais? Faça seu comentário!

piso elevado

7 vantagens do piso elevado para obras comerciais

Originalmente concebido para atender as necessidades de projeto dos antigos centros de processamento de dados das empresas de médio ou grande porte, o piso elevado tem evoluído em qualidade, versatilidade e variedade de materiais aplicados no acabamento, o que faz com que seja cada vez maior o número de profissionais da construção civil que adotam essa solução nas construções ou reformas.

Variedade de tipos

De acordo com o tipo do piso elevado escolhido, encontraremos vantagens específicas, mas algumas delas são comuns a todos. A própria variedade é a primeira vantagem, pois permite que o projetista defina o modelo que mais se ajuste as necessidades do projeto.

Os tipos de piso elevado disponíveis são:

  • Metálicos
  • Concreto celular sobre placas de aço
  • Concreto celular em formas de PVC
  • Ardósia
  • Monolítico
  • Gesso aditivado

Cada um desses tipos de piso tem estrutura adequada, em suportes telescópicos ou não, com maior ou menor distanciamento em relação à base, e com acabamentos diversos. Na execução do projeto das instalações é que deverá ser feita a opção de acordo com a necessidade.

 Rapidez na execução

O tempo médio para instalação de um piso elevado é inferior ao de pisos assentados com argamassa. Esse é um fator importante para redução de custos e agilidade na execução da obra.

Correção de desnivelamentos da base

A maioria dos pisos elevados não exige correções no nivelamento da laje, podendo ser assentado diretamente sobre ela, sem necessidade de contrapiso. A correção de eventuais diferenças de nivelamento da laje é feita pelo ajuste dos suportes.

Instalações facilitadas

A função primordial do piso elevado é justamente permitir que cabeamentos, tubulações elétricas ou hidráulicas, e até instalações de sistemas de condicionamento de ar sejam feitos abaixo do piso e com facilidade e rapidez.

A manutenção é facilitada, o acesso às instalações pode ser feito por caixas de visita ou mesmo com a remoção de algumas placas, dependendo do tipo de piso aplicado.

No caso dos sistemas de ar condicionado, há ainda redução no consumo de energia e maior eficiência do sistema, ressaltando-se que deve ser atentamente observada a possibilidade de, em caso de estrutura metálica, haver corrosão se o sistema gerar umidade abaixo do piso.

Mudanças de layout

Essa é uma das grandes vantagens do piso elevado aplicado em ambientes corporativos, modificações no layout podem ser feitas rapidamente e com facilidade.

Lembrando que no caso do piso monolítico essa mudança requer cuidados e pode apresentar alguma dificuldade por conta da maneira peculiar com que devem ser passadas as instalações.

Alta resistência

O piso elevado oferece boa resistência a cargas, deve ser escolhido o tipo de estrutura de acordo com o uso, mas por sua rigidez pode ser usado mesmo em galpões, locais de trânsito de veículos pesados, lojas e etc. Nesses casos deve ser dispensada especial atenção ao acabamento, pois alguns podem se mostrar mais frágeis quando sobrecarregados e apresentar trincas ou rachaduras, um bom exemplo é a Ardósia.

Diversidade de Acabamentos

De acordo com o tipo de piso elevado escolhido existem várias opções de acabamentos como:

  • Carpete
  • Laminados melamínicos
  • Placas de borracha
  • Placas vinílicas
  • Granito
  • Ardósia
  • Porcelanato
  • Cerâmica
  • Pintura em resina

Essa é outra grande vantagem do piso elevado, com a diversidade de acabamentos, de acordo com o tipo de piso escolhido, o projetista ou designer terá grande liberdade na composição final de seu projeto.

Instalação fácil e limpa, agilidade para instalação e manutenção de cabeamentos e tubulações, aliados à funcionalidade, beleza e modernidade fazem do piso elevado uma opção sempre considerada nos projetos de construção, reformas ou retrofit.

Gostou de nosso post? Já teve alguma experiência na aplicação de piso elevado? Pretende utilizar este recurso em seu próximo investimento? Compartilhe conosco sua opinião, deixe seu comentário.